WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos 1998: Maringá-PR, Brasil


Julio Cesar S. P. Leite, Jaelson Freire B. de Castro (Ed.): Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998.

voltar

@proceedings{WERpapers: WER98,
  editor = {Julio Cesar S. P. Leite, Jaelson Freire B. de Castro},
  title = {Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998},
  publisher = { },
  ISBN = {},
  year = {1998}
}

1 - UMA FERRAMENTA BASEADA EM REGRAS HEURÍSTICAS PARA GERAR ESPECIFICAÇÕES DIAGRAMÁTICAS DE REQUISITOS ORIENTADAS A OBJETO. Júlio Hartmann, Carolina Sturm Trindade, Stanley Loh, José Mauro V. de Castilho. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 27-38. [pdf] [scholar] Downloads: 470

Abstract: Este trabalho apresenta uma ferramenta para a geração automática de diagramas de especificação de requisitos orientados a objeto a partir de textos. São apresentadas as bases de conhecimento desenvolvidas, manualmente, na forma de regras heurísticas, as quais foram obtidas através de estudos de caso e análise de procedimentos junto a especialistas. A utilização de conhecimento humano diferencia a ferramenta apresentada da maior parte das ferramentas CASE existentes, que somente atuam nas etapas seguintes à Engenharia de Requisitos no processo de Engenharia de Software. As especificações geradas pela ferramenta são representações de diagramas conceituais orientados a objeto na metodologia OMT (Object Modelling Technique), e o texto analisado é obtido a partir de restrições sintáticas à linguagem natural.

2 - Derivación de objetos utilizando LEL y Escenarios en un caso real. Mariana del FRESNO, Virginia MAUCO, Marcela RIDAO, Jorge DOORN* , Laura RIVERO. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 89-98. [pdf] [scholar] Downloads: 453

Abstract: El área de Ingeniería de Requisitos se encuentra en permanente evolución, y muchos de sus métodos y herramientas han tenido poca ejercitación en casos reales, por lo que algunas de las opiniones y conclusiones que se pueden recoger en la bibliografía especializada se han generado a partir de consideraciones teóricas o expresiones de deseo de sus autores. En [5] se ha propuesto un método para realizar una derivación preliminar de los objetos de un sistema, mediante el uso del Léxico Extendido del Lenguaje y Escenarios. Existen reportes acerca de algunas aplicaciones de este método, pero pocas de ellas han sido realizadas en situaciones controladas, prestando atención a la importancia relativa de cada uno de los pasos de las heurísticas empleadas. En el presente artículo se relata el proceso de aplicación de la metodología a un caso concreto y se detallan los resultados de las principales métricas utilizadas.

3 - Organizando Processos de Requisitos. Soeli T. Fiorini, Julio Cesar Sampaio do Prado Leite, Carlos José Pereira de Lucena. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 1-8. [pdf] [scholar] Downloads: 501

Abstract: Considerando que a definição e a documentação de processos é um ponto importante para a gerência de requisitos o presente artigo propõe um esquema básico para organização de processos de requisitos, cuja ênfase está na descrição de padrões. Organizando os processos em três tipos (padrão de processo, processo padrão e processo solução) procuramos fornecer informações sob três pontos de vista, de modo a facilitar a aplicação e adaptação de processos. Como damos ênfase nas descrições de padrões de processo, os apresentamos em diferentes níveis de abstração (padrão indivíduo, padrão em família e padrão em comunidade). Nas descrições de processos utiliza-se a idéia do LAL; a idéia de hipertexto; e estrutura-se mais a linguagem natural que descreve os padrões.

4 - Una Estrategia de Análisis Orientada a Objetos basada en Escenarios: Aplicación en un Caso Real. Laura RIVERO, Jorge DOORN, Mariana del FRESNO, Virginia MAUCO, Marcela RIDAO, Carmen LEONARDI. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 79-88. [pdf] [scholar] Downloads: 854

Abstract: El desarrollo de productos informáticos seguros y confiables es crucial. La Ingeniería de Requisitos desempeña un rol fundamental en este proceso, ya que enfoca un área substancial: la definición de lo que se desea producir. Un enfoque novedoso [8] presenta una metodología basada en el uso de LEL (Language Extended Lexicon) para registrar el vocabulario de un macrosistema y escenarios para modelar el comportamiento, extendida con la incorporación de heurísticas para la derivación de un modelo conceptual de objetos a través de tarjetas CRC. En este trabajo se exponen las experiencias obtenidas a partir de la aplicación de la metodología a un caso de estudio. Fue seguida etapa por etapa, respetando las heurísticas establecidas en forma estricta, requiriendo en algunos casos de la guía de los autores del método. Durante el desarrollo del caso se detectaron algunas ambigüedades que no resultaban evidentes en un análisis teórico. En el presente artículo se resumen las etapas de la metodología, indicando en cada una de ellas los inconvenientes encontrados al desarrollar el caso de estudio. Se sugieren cambios en algunos casos y en otros se deja el espacio de discusión abierto.

5 - Modelo para Qualificação da Fonte de Informação do Cliente e de Requisito Funcional. Edna Pacheco Zanlorenci, Robert Carlisle Burnett. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 39-48. [pdf] [scholar] Downloads: 639

Abstract: O modelo proposto visa incrementar ao conteúdo do requisito parâmetros para qualificação e validação das informações. O foco de observação é sobre dois elementos: fonte de informação e características do requisito. Quanto à fonte de informação, o modelo propõe, primeiro, identificar a pessoa responsável pela declaração do requisito sob o ponto de vista de produtor e/ou consumidor da informação; segundo, visualizar claramente o papel que esta pessoa ocupa na organização (operacional, tático, estratégico) como formadora de opinião e, terceiro, qualificar o nível de exigência (essencial, expectativa, excedente) para a satisfação do requisito. Quanto ao requisito, o modelo propõe, primeiro, identificar a área de aplicação (operacional, tático, estratégico); segundo, identificar a área de origem do requisito (interno, externo, ordem legal) e terceiro, identificar a relação de dependência do requisito no contexto em estudo (individual, secundário, grupo). O procedimento seguinte será a validação de requisitos pelo confronto das informações do requisito com as dos variados pontos de vista das pessoas, através da ponderação (valor) do grau de exigência e conformidade com a necessidade e/ou desejo do cliente expresso no processo de extração de requisito, em relação ao produto ou serviço. Como resultado, obtém-se um índice médio de qualificação do requisito, que permitirá avaliar o grau de risco (alto, médio e baixo) para a implementação do requisito.

6 - Un modelo de hipertexto para la especificación de Requisitos. María Carmen Leonardi, Gustavo Rossi, Julio Cesar Sampaio do Prado Leite. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 119-128. [pdf] [scholar] Downloads: 440

Abstract: En este trabajo se presenta un modelo de hipertexto para la Requirements Baseline [Leite'97a] y las tarjetas CRCs derivadas a partir de ella[Leonardi'97][Leite'97b]. Este modelo se basa principalmente en el diseño navegacional de OOHDM[Rossi'97][Schwabe'98], una metodología de diseño Orientada a Objetos para aplicaciones hipermedia. El objetivo de este trabajo es presentar al modelo de hipertexto como un soporte para la etapa de modelización de requisitos. Esta integración trae ventajas en la facilidad de acceso a la información proveyendo diferentes formas de recorrer y analizar los documentos. De esta forma, se facilita la tarea del ingeniero durante la etapa de adquisición de requisitos [Fiorini'97]

7 - Requisitos de Hiperdocumentos de suporte ao domínio de Engenharia Reversa de Software. Valéria Delisandra Feltrim, Renata Pontin de M. Fortes. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 159-167. [pdf] [scholar] Downloads: 417

Abstract: Este trabalho apresenta os requisitos funcionais identificados no processode Engenharia Reversa de Software que possam ser suportados por um SistemaHipertexto. Por meio da modelagem conceitual e navegacional do domíniode informações relativas ao método de engenharia reversaFusion-RE/I, foram estabelecidos os requisitos funcionais de um aplicativohipermídia de suporte ao método, de forma a nortear o engenheirode software responsável pelo processo de engenharia reversa e possibilitaro acompanhamento da evolução desse processo.

8 - INSPECCIÓN DE ESCENARIOS. Jorge Horacio Doorn, Gladys Kaplan, Graciela Hadad, Julio Cesar Sampaio do Prado Leite. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 57-69. [pdf] [scholar] Downloads: 396

Abstract: La cercanía de los escenarios con situaciones concretas y vitales ayuda a los clientes/usuarios y a los ingenieros de software en el desarrollo de una comprensión compartida de las necesidades. Este fenómeno se incrementa significativamente al construir los escenarios utilizando lenguaje natural. La flexibilidad que ofrece el uso del lenguaje natural mejora la interacción de los participantes en el proceso de captura de los requisitos, pero agrega una importante dificultad a la hora de validar los mismos, ya que la presencia de errores, discrepancias u omisiones es más difícil de detectar. Por otra parte, el contar con un conjunto de requisitos lo más consistente y completo posible es una necesidad creciente en la ingeniería de software. En el presente artículo se propone un conjunto de heurísticas para facilitar la detección de errores. Estas heurísticas consisten básicamente en la realización de verificaciones cruzadas entre los escenarios y el Léxico Extendido del Lenguaje y entre los escenarios mismos.

9 - Especificação de Requisitos de Software com o Método SCR. Flávio Ricardo Carpena, Tereza Gonçalves Kirner. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 138-148. [pdf] [scholar] Downloads: 892

Abstract: Este artigo apresenta um método formal para a especificação de requisitos de software, o método SCR - Software Cost Reduction, detalhando seu processo de utilização através de um estudo de caso. É feita uma discussão dos pontos fortes e dificuldades inerentes ao uso do método.

10 - ERACE-TOOL - UMA FERRAMENTA BASEADA EM CENÁRIOS PARA À ENGENHARIA DE REQUISITOS. João Caldas Júnior, Paulo C. Masiero. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 70-78. [pdf] [scholar] Downloads: 392

Abstract: A tool to support requirements trading is presented. The Tool supports the ERACE approach. This approach starts from the system’s requirement document and proposes to specify interactions between the system and its agents (scenarios), and then the scenarios are specified in detail. Heuristics to evolve from the requirements model to the analysis are also presented. An example to illustrates the approach is also presented.

11 - Utilizando Requisitos Não Funcionais para Análise de Modelos Orientados a Dados. Luiz Marcio Cysneiros, Julio Cesar Sampaio do Prado Leite. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 149-158. [pdf] [scholar] Downloads: 491

Abstract: Recentes pesquisas apontam para a necessidade de modelos conceituais serem capazes de lidar com metas, de forma a poderem retratar situações complexas que existem no mundo real. Este trabalho aborda o uso de requisitos não funcionais (RNF) na análise de modelos orientados a dados. Esta análise é baseada no uso do Léxico Ampliado da Linguagem (LAL) como âncora para a construção de um grafo de RNFs e para a construção do modelo de dados e de heurísticas para a validação do modelo de dados. Nós adotamos o largamente utilizado modelo entidade relacionamento como o modelo de representação de dados. Apesar de apresentarmos apenas o modelo ER, acreditamos que o método apresentado neste artigo possa ser estendido para outros modelos de dados.

12 - Guidelines From Organizational Requirements to Formal Specification. Fernanda M. R. de Alencar, Jaelson F. B. Castro. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 9-17. [pdf] [scholar] Downloads: 465

Abstract: In this work we present some guidelines for the integration of organizational requirements and functional requirements of sys tem. For the organization modeling we use the i* technique, it allows a better description of the organizational relationships among the various agents of a system as well as an understanding of the rationale of the decisions taken. For the formal functional specification of the requirements we use at present Structured Modal Action Logic (MAL). We demonstrate the approach by means of an example of a mineral water factory.

13 - Suporte Automatizado à Gerência da Evolução de Cenários. Karin Koogan Breitman, Julio Cesar Sampaio do Prado Leite. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 49-56. [pdf] [scholar] Downloads: 425

Abstract: Neste artigo discutimos aspectos relacionados à evolução de especificações baseadas em cenários. Apresentamos resultados de estudos realizados nesta área, traduzidos em um conjunto de operações. A partir destes resultados tecemos comentários sobre o apoio automatizado a especificações baseadas em cenários.

14 - Towards Requirements Engineering of Active Database Systems. José H. Canós, Javier Jaén, Isidro Ramos. Anais do WER98 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Maringá-PR, Brasil, Outubro 12, 1998, pp 168-177. [pdf] [scholar] Downloads: 379

Abstract: Active systems are emerging in many fields, being particularly interesting those like Active Database Management Systems which always provide some kind of reactive capabilities. In this paper, starting from the assumption that activity is an important notion not only for database systems, but also for capturing semantics in the Requirements Analysis and Specification field, we present a model of active behavior that is independent of a concrete database data model, in the sense that the set of events is not predefined (imposed by the database system used), rather it varies with each problem being modelled. We define both a syntax and semantics to formalize different dimensions of active behavior. This approach, first, extends an OO model supporting formal requirements specification and rapid prototyping (OASIS) with active capabilities and second, allows implementing information systems in different architectures by translating the active concepts of our model to those of particular active database systems (relational, object-relational or object-oriented). This is a first step towards a CARE tool for the specification and prototyping of active systems.

  voltar