Workshop em Engenharia de Requisitos
Workshop en Ingeniería de Requerimientos
Workshop on Requirements Engineering

Anais do WER19, Recife-PE. Brasil de 13-16 de Agosto


Expediente    Contato

@proceedings{WERpapers: WER19,
  editores = {Maria Lencastre (UPE, Brasil), Marcela Ridao (UNICEN, Argentina), Henrique Prado de Sá Sousa (UFRRJ, Brasil)},
  title = {Anais do WER19 - Workshop em Engenharia de Requisitos, Recife-PE, Brasil, Agosto 13-16, 2019},
  publisher = {Editora PUC-Rio},
  ISBN = {},
  ISSN = {},
  year = {2019}
}

Papers

1 - Uma Análise das Características de Especificação de Requisitos de Software em Normas de Ambientes Regulados. Johnny Cardoso Marques, . pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Engenharia de Requisitos é o conjunto de atividades envolvidas no gerenciamento, levantamento, documentação e manutenção de um conjunto de requisitos para um produto. O termo Engenharia envolve o uso de técnicas sistemáticas de repetibilidade para garantir que os Requisitos de Software sejam completos, consistentes, válidos e verificáveis. A Especificação de Requisitos de Sof-tware é um processo organizado orientado para definir, documentar e manter os Requisitos de Software durante o ciclo de vida de desenvolvimento. Muitos autores sugerem que os requisitos devem sempre focar suas declarações no que o produto de software precisa abordar, sem especificar como implementá-las. No entanto, o detalhamento dos Requisitos de Software é influenciado por vários fatores, tais como: pensamentos organizacionais; padrões de especificação existentes; e necessidades regulatórias. Este trabalho se enquadra exatamente nas ne-cessidades regulatórias, onde são apresentadas e exploradas as características de Especificação de Requisitos de Software em Ambientes Regulados como aeronáutica, ferroviária e médica. Este artigo apresenta brevemente as três normas utilizadas nestes ambientes regulamentados (RTCA DO-178C, IEC 62279 e IEC 62304) e analisa suas similaridades do ponto de vista da Especificação de Requisitos.

2 - Requirements Communication in Safety-Critical Systems. Jessyka Vilela, Jaelson Castro, Luiz Eduardo G. Martins, Tony Gorschek, Camilo Almendra. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Safety-critical systems (SCS) are mainly controlled by software. Accordingly, the development of these systems must be carefully planned since inadequate or misunderstood requirements have been recognized as the major cause of a signifficant proportion of accidents and safety-related catastrophes. Objective: We investigate the integration and requirements communication in the requirements engineering (RE)process among different parties when developing SCS. Method:We used a Systematic Mapping Study as the basis for our work. Results: We analyze the challenges and needs involved, application context, research type, evaluation methods, type of contribution, domain, requirements activity as well as languages and tools used to specify safety requirements. Furthermore, we also analyze stakeholders involved, communication format, and for what safety standards have the approaches been proposed. Conclusions: We believe the results of such a study will benefit both researchers and practitioners. This information contributes to setting up possible collaborative networks and as a reference when developing new research projects.

3 - Um processo para elicitar requisitos de software em projeto de implantação de ERP para empresas com unidades autônomas e diferentes culturas organizacionais. Hamilton G. P. Hitzschky, Vagner L. Gava. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Os aspectos do processo para elicitação de requisitos na implantação de sistema ERP (Enterprise Resource Planning) são diferentes daqueles para desenvolvimento de um novo produto. Quando se trata da implantação deve-se ter atenção nas diferenças entre os processos de negócio e as funcionalidades oferecidas pelo sistema a ser implantado. Desalinhamentos em excesso pode tornar o projeto inviável. Diferentes culturas organizacionais e subdivisões em-presariais com alto nível de autonomia são algumas das principais causas de in-sucesso na implantação de sistemas corporativos. Esta pesquisa tem como obje-tivo propor um modelo de processo para adequar as solicitações do cliente, dife-rentes ou ausentes no sistema a ser implantado, às necessidades reais da organi-zação. Os resultados obtidos com a revisão sistemática possibilitaram a defini-ção do modelo proposto, formado por técnicas identificadas na literatura e adaptadas ao contexto apresentado. O processo teve sua eficácia comprovada por meio do método de pesquisa-ação e foi aplicado em ambiente real de im-plantação, no decorrer da fase de elicitação de requisitos

4 - Privacy and Security in Requirements Engineering: Results from a Systematic Literature Mapping. Dorgival Netto, Mariana Peixoto, Carla Silva. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Computing has been revolutionizing the way people communicate, share, and access information. Consequently, concerns about privacy and security are increasing. In this scenario, the literature reports that it is necessary to address privacy and security from the Requirements Engineering (RE) phase. This paper presents the results of a Systematic Literature Mapping, covers the period from 2000 to 2016, whose goal is to understand the current state of approaches concerning privacy and security in RE domain. We divided the results into research topics, research methods, types of study, research problems, and indications of future works regarding the eld of privacy and security in RE.

5 - The PRISE Tool to Support iStar Extensions. Enyo Gonçalves, Tiago Heineck, Luciana de Oliveira, João Araújo, Jaelson CastrO. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: iStar has been extended since its initial proposal in the 90’s. It is worth noting that since 2016 the language notation is under standardisation. However, new extensions continue to be proposed. The search for previous extensions and its constructs can be a starting point in the proposal of new ones. PRISE (PRocess to conduct IStar Extensions) consists of a set of tasks, artefacts and templates which can be used when one needs to propose extensions which are more complete, consistent and without conflicts. The objective of this paper is to present a tool to support the proposal of iStar extensions based on PRISE. The tool helps to create projects of extensions and update the information about the performed tasks, as well as the information of the artefacts to be filled by the extender. The results suggest that PRISE Tool can be very useful to manage the iStar extensions.

6 - Críticas Cognitivas a Heurísticas Orientadas a Modelos. Jorge H. Doorn, Graciela D.S. Hadad, María Celia Elizalde, Alan R.G. García, y Lucas O. Carnero. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Los requisitos, como piedra basal del desarrollo de sistema de software, deben ser de la mejor calidad posible, cubriendo las necesidades reales de los clientes y las limitaciones del proyecto. Alcanzar un nivel aceptable de calidad no es fácil y, a veces, no suele cumplirse. En proyectos de investigación previos, se ha evaluado exhaustivamente estos niveles de calidad en modelos escritos en lenguaje natural, principalmente en glosarios con definiciones de los términos del lenguaje empleado en el contexto de aplicación, observándose en estos casos una baja calidad y escasa repetitividad de los mismos. Esta característica es prácticamente independiente del modelo y de las fuentes de información utilizadas. A pesar de reiterados esfuerzos consistentes en la incorporación de nuevas heurísticas, las mejoras logradas resultaron poco satisfactorias. Una revisión retrospectiva de estos trabajos permitió detectar que indudablemente es la habilidad cognitiva del propio ingeniero de requisitos el origen de estos defectos. Notablemente, las heurísticas utilizadas proveen guías rudimentarias acerca de cómo elaborar la información elicitada. Esta carencia es la base del proyecto de investigación de carácter exploratorio-descriptivo que se ha iniciado y que se presenta aquí

7 - iStar4Safety: Uma Extensão de iStar para Modelagem de Requisitos de Segurança em Sistemas Críticos. Moniky Ribeiro, Jaelson Castro, Jéssyka Vilela, João Pimentel. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Sistemas Críticos de Segurança são caracterizados por serem sistemas que caso falhem ou não se comportem como esperado, podem levar à danos ou até perdas de vidas, destruição de propriedade, perdas de missões e/ou dano ambiental. A literatura reporta uma maior probabilidade de erros relacionados à segurança (do inglês safety) estarem associados às fases iniciais do processo de desenvolvimento (elicitação e especificação de requisitos) do que às fases finais (tais como a codificação). Objetivo: Este trabalho propõe uma extensão da linguagem iStar 2.0, a denominada iStar4safety, para possibilitar a modelagem de requisitos de segurança. Método: A definição dos novos construtores para modelar características relevantes a segurança foi realizada analisando os conceitos essenciais definidos pela literatura especializada. Além disso, propõe-se o metamodelo da linguagem juntamente com as regras de validação. Resultados: A linguagem iStar4Safety tem como foco a modelagem dos atributos de segurança no estágio inicial do desenvolvimento de sistemas, adotando uma abordagem orientada a objetivos. Um Sistema Crítico, que visa controlar o cruzamento de ferrovias, foi modelado usando a extensão proposta. Conclusões: Os resultados de uma avaliação preliminar indicam que iStar4Safety é conservativa, isto é, preserva os construtores da linguagem iStar 2.0, sendo adequada para descrever os requisitos iniciais de Segurança de Sistemas Críticos

8 - O uso de modelos de processos de negócio e de modelagem organizacional em metodologias ágeis: uma revisão sistemática da literatura. Camila Tiemi Outa, Victor F. A. Santander. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: A necessidade de compreender o ambiente organizacional e processos de negócio é fundamental em qualquer processo de software. Neste sentido, é importante conhecer como práticas, técnicas e ferramentas de modelagem orga-nizacional e processos de negócio são utilizadas ou percebidas em contextos de desenvolvimento ágil na engenharia de software. Este é um aspecto importante e pouco explorado que deve ser estudado considerando a importância de metodologias ágeis nos últimos anos. Para realizar este estudo apresenta-se no pre-sente artigo uma Revisão Sistemática da Literatura

9 - Aplicação da Etnografia no Contexto de Fábrica de Software na Perspectiva da Engenharia de Requisitos. Luana Souza, Erica Miranda, Márcia Lucena, Apuena Gomes. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Observando o contexto de dificuldades na elaboração da documentação de requisitos e na atividade de transferir e compartilhar o conhecimento entre os engenheiros de requisitos, foi elaborada uma etnografia organizacional para entender de perto como uma fábrica de software lida com essa questão. O objetivo geral deste trabalho foi investigar desafios em duas equipes de engenheiros de requisitos, que impactem na produção e na manutenção de uma documentação efetiva para seus diferentes públicos alvo (desenvolvedores, analistas de teste, os próprios engenheiros de requisitos e clientes). Os desafios identificados foram agrupados em três grandes categorias: compartilhamento de conhecimento, consulta aos clientes, documentação e metodologias ágeis. Para realizar este trabalho foi desenvolvido uma adaptação de um processo etnográfico organizacional composta das etapas de: observação das equipes, entrevistas (com engenheiros de requisitos, líderes de equipes e direção de sistemas) e arqueologia dos sistemas. Ao final deste processo, os resultados coletados são interpretados na última etapa do processo etnográfico chamada de triangulação. Para então, ser aplicada metodologia Grounded Theory adaptada para categorizar os desafios, e indicar as práticas que permitirão, segundo a literatura, a fábrica de software obtenha: ganhos de produtividade, redução do custo de comunicação entre membros das equipes, redução do custo de planejamento das sprints, redução da dependência presencial do engenheiro de requisitos e uma documentação efetiva. Os desafios identificados, o benefício no uso das práticas sugeridas e o próprio processo etnográfico - constituído especificamente para esta pesquisa - são as contribuições deste trabalho

10 - Raciocinando sobre a propagação de impactos em modelos de metas através de Redes de Petri. Romeu Ferreira de Oliveira, Julio Cesar Sampaio do Prado Leite. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Tratar Requisitos Não Funcionais (RNFs) na concepção de um soft-ware é uma tarefa não trivial. O tratamento de RNFs é complexo na medida em que, além dos impactos nos requisitos funcionais, os RNFs podem estar interdependentes em diferentes situações. Analisar essa interdependência é muito importante para evitar retralho na construção de software. Essa classe de requisitos, RNFs, compreende as características de qualidade de uma aplicação. Isto implica que, ao tratar de requisitos subjetivos, precisamos do conceito de “satisfação a contento”. Modelos que reflitam o conhecimento, de forma concisa e clara, dessa subjetividade dos RNFs são necessários. Esses modelos devem ajudar o engenheiro de requisitos no tratamento desses requisitos, tanto nos impac-tos como nas interdependências. Esse tratamento, quando feito de maneira adequada é base para a tomada de decisões arquiteturais. Este artigo aborda o início de uma pesquisa sobre estratégias de análise da propagação de rótulos e o consequente impacto desses requisitos não funcionais, considerando o uso de catálogos de conhecimento do tipo SIG (“Softgoal Interdependency Graph”). Em particular, pretendemos investigar como o uso de Redes de Petri, pode ajudar no refinamento do grau de granularidade dos rótulos de um SIG, de forma a que a propagação de operacionalizações de RNFs sejam mais informativas.

11 - Identificando cenários de conflitos na Engenharia de Requisitos visando aplicação da Comunicação Não Violenta. Aline Ferreira Barbosa, Maria Lencastre. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: [Contexto] A Engenharia de Requisitos envolve inúmeras interações sociais, que requerem do analista um alto nível de cooperação e empatia com pessoas de personalidades, valores e interesses diferentes. Nas equipes de desenvolvimento de software, independentemente do tamanho que seja o projeto, os conflitos fazem parte do seu ciclo de vida. Portanto, é importante o analista de requisitos monitorar continuamente os sinais que apontam a existência de conflitos, evitando o comprometimento do projeto. [Objetivo] Este artigo se concentra em identificar cenários de conflitos recorrentes nas equipes de desenvolvimento de software e utiliza uma estratégia para análise dos mesmos, a Comunicação Não Violenta (CNV). [Método] Foi realizado um estudo qualitativo utilizando como método de coleta uma entrevista semiestruturada com profissionais de 5 empresas distintas visando um aprofundamento nas situações de conflitos identificadas. [Resultados] Foram levantados um conjunto de cenários de conflito reais, assim como feita a análise dos mesmos, com base na CNV; isto ajudou os participantes (entrevistados) a observar o fato, independente de julgamentos, assim como identificar os sentimentos e necessidades presentes na situação; dessa forma, eles passaram a ter uma melhor compreensão do cenário onde ocorreu o conflito

12 - Relacionando requisitos de software e competências de recursos humanos através de modelos organizacionais. Henrique Prado Sousa, Eduardo Kinder Almentero, Julio Cesar Sampaio do Prado Leite. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Os modelos de processos de negócio podem ser usados como insumo para elicitação de requisitos de software. Uma das motivações para o uso destes modelos é a busca por alinhamento entre a TI e a organização, considerando que eles representam com maior fidelidade o fluxo de tarefas e informações em uma organização. Entretanto, os modelos de processos de negócio são insuficientes na representação do complexo ambiente organizacional. Uma modelagem organizacional pode integrar elementos provenientes de diferentes áreas com o objetivo de possibilitar análises mais aprofundadas da interação dos conceitos modelados visando, por exemplo, favorecer o alinhamento organizacional. A linguagem GPI (Goal, Process, Indicators) vem sendo desenvolvida neste sentido, agregando conceitos específicos de domínio de Recursos Humanos para permitir a modelagem e avaliação do seu alinhamento. O objetivo deste trabalho é analisar o potencial dessas informações presentes nos modelos organizacionais como insumo para elicitação de requisitos. Para isso realizamos um mapeamento das informações de competências humanas com potenciais requisitos de software extraídos de modelos organizacionais. As relações entre competências humanas e requisitos de software demonstram ser relevantes e úteis para auxiliar na decisão organizacional envolvendo projetos de software.

13 - Metricas de Tamanho de Software com Metodos Ageis no Setor Publico: uma Revisão Sistemática. Alexandre Mendonça, Fernanda Alencar. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: A administração pública tem utilizado cada vez mais metodos ageis, adequando-se à realidade do mercado. Muito embora continue obrigada a mensurar suas entregas através de alguma métrica de tamanho de software, a escolha adequada dessa métrica pode definir o nível de sucesso dos projetos públicos. Neste artigo, identi ca-se as configurações de métricas de tamanho de software em conjunto com métodos ágeis no setor público. Como instrumento metodológico para a identificação de evidências foi utilizada a revisão sistemática da literatura. A métrica Ponto de Função IFPUG e o método Manifesto Ágil e Scrum foram identificados como os mais utilizados no setor público. A definição de configurações de uso de métricas e métodos ágeis no setor público torna possivel direcionar a tomada de decisões para a conclusão com sucesso dos projetos, no menor tempo possível, com o menor custo aceitável e entregando valor agregado perceptível à sociedade.

14 - Evaluación de Variantes de Inspección en un Modelo Léxico. Alberto Sebastián, Graciela D. S. Hadad, Daniela Raffo. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Elaborar modelos en lenguaje natural durante el proceso de requisitos es una práctica habitual que facilita la elicitación, validación y negociación con el cliente. Es frecuente construir inicialmente un glosario con los términos relevantes utilizados por los clientes. A pesar de construirse este glosario siguiendo heurísticas concretas, suele presentar un número significativo de defectos. Por consiguiente, es importante detectarlos y corregirlos tempranamente para evitar su propagación sobre posteriores modelos. En tal sentido, la inspección es una técnica de verificación que consigue una alta eficacia en identificar defectos. Existen distintas variantes de inspección sobre modelos de requisitos, centradas en el modo de lectura del modelo para capturar defectos. En el presente trabajo, se presenta un estudio comparativo, en términos de eficacia y eficiencia, de tres variantes de inspección: lectura con checklist, lectura basada en procedimientos y lectura constructiva, aplicadas sobre un modelo léxico. Con los resultados de 23 inspecciones, se observó que la lectura constructiva logró mayor tasa de detección de defectos, focalizada principalmente en omisiones y ambigüedades, aunque insumiendo más tiempo que la lectura con checklist, mientras que la lectura basada en procedimientos fue la que insumió los mayores tiempos, capturando en promedio una menor cantidad de defectos.

15 - Uso de Metodologias Criativas no Processo de Ensino da Disciplina Engenharia de Requisitos. Patrícia Mergulhão, Maria Lencastre, Melina Soares, Ricardo Almeida, Aline Barbosa. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Developing the ability to define the requirements of a system is one of the core competencies and objectives of the Requirements Engineering course. Several traditional teaching methods are used by the academy for this purpose, also trying to support experiences closer to reality and the generation of solutions more in line with the demands of stakeholders. However, they do not seem to meet the students' learning needs, who show a growing interest in more creative, interactive, engaging and participatory approaches. This paper evaluates the perception of graduate students in Software Engineering about creative teaching methodologies in the discipline of Requirements Engineering. For this purpose, an exploratory-descriptive study was carried out, where a questionnaire was applied to the students. The results show a favourable perception of the involved students in applying creative techniques

Video Papers

16 - Laboratório da CNV: Um jogo digital para compreender a Comunicação Não Violenta. Camila Luísa F. de Lima, Camila B. de Andrade, Aline F. Barbosa, Maria Lencastre . pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: O Laboratório da CNV é um jogo digital desenvolvido com o objetivo de facilitar a compreensão da Comunicação Não Violenta, uma técnica de resolução de conflitos que nos guia no processo de reformular a maneira pela qual nos expressamos e escutamos os outros. Para isso, o jogo aborda um conflito e sua resolução usando as 4 etapas da CNV, são elas: observação, sentimentos, necessidades e pedidos. Esse jogo busca de maneira lúdica ajudar no desenvolvimento de competências socioemocionais que são essenciais para os profissionais da atualidade, em especial os engenheiros de requisitos, que lidam com pessoas de diferentes personalidades, experiências e valores. Portanto, nesse vídeo apresentamos o processo de desenvolvimento, incluindo desde a sua concepção ao resultado final do jogo. Vale ressaltar, que o jogo Laboratório da CNV é o primeiro jogo digital mobile a bordar a CNV, sendo assim, um grande potencial para disseminar uma nova forma, estruturada, de resolução de conflitos. youtu.be/i9JU80eiaGU e vimeo.com/325975234

17 - JGOOSE: Uma ferramenta para derivar casos de uso a partir de modelos em i* e BPMN. Victor Augusto Pozzan, Victor F. A. Santander. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: A ferramenta JGOOSE (Java Goal Into Object Oriented Standard Extension) tem como objetivo suportar a derivação de casos de uso na forma de diagrama e descrição textual a partir de modelos organizacionais desenvolvidos via framework i* (lê-se istar) como também a partir de modelos BPMN (Business Process Modeling Notation). A derivação é automática, pois a ferramenta automatiza as diretrizes para obter casos de uso já propostas em trabalhos pré-vios. Para melhorar este processo, também foram implementados editores para i*, BPMN e Casos de Uso o que permite que engenheiros de requisitos possam criar e editar os modelos envolvidos no processo. Todos os modelos podem ser salvos no formato .mxe o qual é nativo da ferramenta como também em formatos de imagem. Também é possível editar os cenários principal e secundário dos casos de uso gerados e salvá-los em documentos do tipo texto. A ferramenta está implementada na linguagem java e pode ser utilizada tanto no sistema opera-cional Windows quanto Linux. Atualmente esta ferramenta está sendo melhorada para incorporar estratégias de rastreamento de requisitos considerando os artefatos de requisitos suportados. https://youtu.be/FdDaQp_XqFQ

18 - Uso das Metodologias Ativas na Engenharia de Requisitos. Jose Vinicius Vieira Lima, Andres Paul Moya Flores, Fernanda M. R. Alencar. pp. , DOI . [pdf] [scholar]

Abstract: Com as mudanças ocasionadas através da inserção e do uso de sistemas e softwares nos mais diferentes contextos, faz-se necessário discutir sobre as necessidades provenientes destas quando relacionados ao âmbito educacional e as práticas de ensino em que estão sendo aplicadas. Nesse sentido, as metodologias ativas vêm sendo utilizadas como novos modelos de ensino e aprendizagem, onde estas têm como principais características, propiciar que os alunos busquem soluções para problemas do mundo real, sendo estes protagonistas do seu processo de aprendizado. Essas alternativas apontam os caminhos para a autonomia, autodeterminação pessoal, cultural e social, sendo indispensáveis para o desenvolvimento da consciência crítica quando relacionada a transformação da realidade. Assim sendo, este vídeo descreve um relato de ex-periência após as metodologias ativas serem inseridas em disciplinas da graduação e na pós-graduação. Para isso, entrevistas com os discentes foram realizadas a fim de identificar as vantagens e possíveis dificuldades encontradas por estes no momento da aplicação, do mesmo modo que foram apontadas as principais estratégias que estão sendo utilizadas, e como estas estimulam o ensino e aprendizagem através de experiências reais ou simuladas, visando condições de solucionar, com sucesso, desafios advindos das atividades essenciais da prática social e em diversos aspectos. http://y2u.be/XE-7QVzYI5Yfeature

  voltar